Segunda-feira, 13.04.09

Mais uma 'guerrinha' de Sá Fernandes

 

O vereador da CML, José Sá Fernandes, parece estar fixado no Marquês de Pombal. Senão vejamos: foi o principal ponta de lança da cruzada contra o túnel. Ora hoje é unanimemente reconhecidoque a obra trouxe mais benefícios que prejuízos. Agora Sá Fernandes argumenta que os outdoors do Marquês "afectam a paisagem urbana". Então e as bolas da TMN, que o mesmo Sá Fernandes autorizou? Ou o encerramento da Av. da Liberdade para a promoção da F1, ou da Praça das Flores para a promoção de uma marca de carros? 

 

O vereador José Sá Fernandes acha que não. Afinal, todas estas decisões foram tomadas por ele. E se é verdade que, ao contrário do que acontece com os outdoors, o aluguer do espaço público é gerador de receitas para os cofres da câmara municipal, o facto é que todos os cidadãos e entidades têm que ser iguais perante a lei. Aos responsáveis políticos, por maioria de razão, cabe assegurar que assim é. Pior: todos os lisboetas se lembram dos outdoors com o slogan "O Zé faz falta", espalhados pela cidade. O Marquês de Pombal não foi excepção.

 

A poucos dias de poder ser confirmado como candidato autárquico integrado nas listas do PS, José Sá Fernandes tem dado uma ajuda preciosa aos adversários de António Costa. E como a estratégia do silêncio parece compensar, Pedro Santana Lopes só tem que continuar calado enquanto Sá Fernandes se entretém com a guerra dos cartazes.

 



Rodrigo Saraiva às 12:40 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Mais um exemplo das incoerências e demagogias do Zé que dizia fazer falta.



Rodrigo Saraiva às 01:27 | link do post | comentar

Sexta-feira, 10.04.09

O PSD anunciou hoje que apresentou queixa na Comissão Nacional de Eleições (CNE) pela notificação que recebeu do vereador José Sá Fernandes para retirar em 48 horas o cartaz que tem no Marquês de Pombal

Em declarações à agência Lusa, o dirigente social-democrata Agostinho Branquinho acusou José Sá Fernandes de ter cometido “um acto ilegal, porque não respeita a lei, e imoral, porque ele próprio já por duas vezes colocou cartazes no Marquês de Pombal”.

 

“Ao Zé faz falta ser democrata, respeitar as regras do jogo e a legislação”, considerou Agostinho Branquinho

Ora bem, parece-me que esta reportagem terá um valor latente muito superior ao do desengraçado cartaz.

 

 Boa Zé...



Jorge Franco às 21:38 | link do post | comentar

Contacto
camaradecomuns@sapo.pt
Arquivo
2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
Siga-nos
Lemos Sempre
Tags

todas as tags

subscrever feeds